A cirurgia refrativa, feita com laser, é muito eficiente e rápida. Ela pode ser utilizada para correção de erros refrativos como a miopia, hipermetropia e astigmatismo, mas assim como todo procedimento cirúrgico, há alguns riscos e cuidados devem ser tomados. Os três principais riscos são:

 

  • Há possibilidades, mesmo que mínimas, de grau residual, ou seja, mesmo após a cirurgia pode ser necessário o uso de óculos, mas em um grau menor. Isso na maioria das vezes por motivos de o grau não ter sido completamente estabilizado antes da cirurgia, ainda tendo o aumento. Ou também caso não tenha sido realizada corretamente a cirurgia, sendo feita uma correção excessiva ou mínima.

 

  • No pós-operatório deve-se ter muito cuidado com os olhos. Em casos de traumas oculares, como impactos e esbarrões na região dos olhos em lugares movimentados, pode acontecer o descolamento da retina ou comprometimento da cicatrização. Por isso o ideal é que se evite lugares aglomerados, como festas, transportes públicos e ruas em horário de pico durante a recuperação.

 

  • Pode ser necessário refazer a cirurgia, caso o FLAP (membrana recortada a laser na cirurgia, para realizar o procedimento) sair da posição com o coçar inadequado dos olhos. Outros motivos como cicatrização incompleta, crescimento epitelial em excesso, lesões na região ocular e outros motivos podem gerar essa necessidade de um novo procedimento.

 

Como pode ser notado, os maiores riscos são no período pós-operatório, por descuido do próprio paciente. Por isso, por mais que não seja uma cirurgia que cause dor, nem dificuldades exacerbadas, se deve ter alguns cuidados e prevenções para uma recuperação completa e eficaz.